terça-feira, 28 de agosto de 2012

Quem planta colhe. ^^ Resumo da trajetória.


Essa frase do título serve muito bem para ilustrar o que aconteceu comigo desde o começo do projeto Vitral mangá. Sinto que fiz certo ao decidir não desistir apesar de todo o atraso para a saída dos novos volumes. Não foi nada fácil lidar com isso, mas de repente tudo começou a dar certo novamente. É como um dia de sol depois de semanas de chuva fria, finalmente sinto o calor da realização chegando. Também sei que isso se deve ao meu esforço e coragem pra levar a diante um gênero de mangá que não é nem muito bem visto no Brasil e no mundo. Vitral é o primeiro Boys Love do país e tende a ser um projeto com muitos ineditismos como o fato de terem saído dois volumes simultaneamente. Isso nunca foi feito no Brasil creio eu.
Quando eu e a Soni criamos o Futago Estúdio de mangá estávamos sem perspectiva e totalmente sem grana. Lembro que levamos três meses pra juntar trinta reais para pagar o domínio do site. Era dezembro de 2009 quando colocamos o site no ar com os primeiros capítulos disponíveis para serem lidos. Na época tínhamos feito uma pesquisa na comunidade do orkut para saber se as pessoas preferiam ler os mangás com leitura oriental ou ocidental. A leitura oriental ganhou e fizemos os mangás assim. Não tínhamos perspectiva nenhuma de publicar. Mas um dia eu acordei com uma idéia fixa de procurar no Google as palavras “mangá nacional”. Eu queria saber o que as pessoas pensavam e estavam fazendo a respeito disso, fiz como uma pesquisa mesmo e de repente encontrei um site de uma editora chamada Quadrix que tinha uma página para envio de material e eles estavam criando um  almanaque com vários gêneros de quadrinhos inclusive mangás. Fiquei interessada e enviei o mangá da Soni que tinha o primeiro capítulo com vinte e quatro páginas como eles queriam, eu sabia que poderia não ser aceita já que a leitura estava no sentido oriental. Mas sabe aquela coisa que diz que a gente não tem nada a perder? E enviei no domingo, na segunda recebi o e-mail do editor dizendo que não ia publicar na revista por causa do sentido de leitura. Fui lendo feliz apesar de não ter sido aceita, mas logo em baixo ele dizia que lançaria solo. Eu e a Soni corremos para a cozinha e contamos para a Dida, nossa irmã mais velha. Ela leu o e-mail e ficou feliz também. Pra falar a verdade foi a primeira vez depois de um ano da morte do nosso pai que a gente conseguiu ficar feliz de verdade. Já tínhamos enviado o OPBS para algumas editoras mais conhecidas, mas não tivemos respostas. Por algum motivo eu acreditei de novo e tive um bom resultado. Fizemos o segundo capítulo em fevereiro de 2010 em pleno carnaval.
No mesmo mês a editora anunciou o lançamento no site J-Box e nós até que chamamos atenção. Nesse intere o editor sumiu de repente e ficamos três meses sem notícia, o editor que tinha ficado no lugar nos enrolou e para a nossa surpresa eles cancelaram todos os títulos de mangá. Ou seja, nosso sonho ficou frustrado de novo. Eu me senti chateada com o descaso da editora, mas a Soni não quis ficar parada e enviou o Vitral para a HQM. Passamos alguns dias sem olhar a caixa de e-mail porque ficamos empolgadas com o show do Versailles e só vimos o e-mail de resposta do Carlos dias depois do show. Ficamos super felizes de novo e ele também quis publicar OPBS. Estávamos doentes por causa de uma pneumonia que pegamos em São Paulo no dia do show e também estávamos com dengue. Só que a gente tava tão feliz que nem sentimos as doenças, nós conseguimos diagramar as revistas e elas foram lançadas no Anime Friends. Infelizmente não conseguimos ir porque estávamos sem grana por causa dos remédios. Deu tudo certo e vendemos bem, depois o Carlos disse que algo inédito tinha acontecido, as revistas esgotaram na Comix em uma semana. Isso nunca havia acontecido com revista nenhuma da HQM. Aquilo animou o editor que colocou as revistas nas bancas. Eu e a Soni começamos a nossa loja e começamos a dar entrevistas até na TV. Foi muito bom pra nós o reconhecimento das pessoas que enviavam e-mail nos apoiando. Claro, teve gente que odiou e fui até acusada de plágio por um Zé contrinha. Mesmo atribuladas fizemos os volumes 2 para saírem em outubro de 2010. Bom, não saíram e o Carlos disse que em janeiro de 2011 sairiam. Beleza, mas passou janeiro, fevereiro e março e o editor não entrou em contato. Escrevi muitos e-mails e perguntei se os volumes iam sair ou não. Ele finalmente respondeu que sim e nós ficamos mais tranquilas. Mas depois disso, os volumes foram ficando pro próximo mês e pro próximo mês. Quando chegou junho ele disse que sairia no AF, depois disse que em novembro e depois em fevereiro de 2012! Eu e a Soni ficamos flutuando sem saber o que fazer, alagumas pessoas começaram a tirar com a nossa cara e dizer que tínhamos fracassado. Durante 2011 inteiro ficamos tentando resolver os problemas com a HQM. O editor me deu vários motivos para não ter lançado, mas nada ia pra frente. Chegou uma hora que eu achei que tínhamos uma maldição do volume 2. Continuamos desenhando mesmo desanimadas e com pessoas ridicularizando até a minha capa. Felizmente conquistei muitos leitores que jamais desistiram e jamais perderam a esperança e isso me deu força.
E finalmente posso dizer que o projeto vai continuar de fato. O preço subiu, mas em nome da realização do projeto eu concordei. Conto com o apoio daqueles que acreditam que as coisas podem mudar no Brasil e dos meus leitores e fãs.
Confesso que teve noite que não dormi pensando em como ficaria o projeto com o fim da publicação. Eu me senti muito mal e tentei não ficar com aquele pensamento do “por que eu nasci aqui?”. O pior momento foi quando eu me vi a beira de dois anos sem nenhuma publicação. Sei que muita gente entende que aqui é Brasil e não funciona da mesma forma que em outros lugares, mas existem pessoas que acham que eu é que fui mole, chorona e cheia de mimimi e até anti profissional. Que tudo deu errado porque eu não devia ter nem tentado já que o que faço não parece melhor e nem novo perto dos mangás japoneses. No entanto, eu só consegui ter uma primeira publicação e mesmo com problemas consegui continuar porque eu PLANTEI PRA COLHER! Fiz o mangá, desenhei ele e fui atrás das editoras apesar do Brasil não ser nem de longe como meu amado Japão. Lá eles admiram o bambu que entorta e se curva com o vento, mas não se quebram. Aqui acho que podemos seguir a bananeira que após dar os cachos ela morre e surge outra. A gente sofre mais, mas produzimos frutos.
Eu e a Soni resolvemos investir no nosso estúdio, estamos produzindo nossas próprias revistas. No começo serão apenas especiais. Mas com esforço poderemos expandir. Claro, não foi fácil criar o Futago Produções. A gente ainda é pobre e investimento significa dívida... mas espero que gostem e apóiem o nosso trabalho.  Essa idéia partiu da nossa vontade de não deixar os nossos leitores sem a continuação caso a editora demorasse mais. Isso encareceria muito mais o produto, mas seria o jeito.^^
Ah! Quem quiser já pode ir encomendando as revistas na nossa loja. Ainda estamos esperando a editora enviar o material, mas acho que chegarão semana que vem e por isso resolvemos já abrir as vendas. Arigatou! 

9 comentários:

Mate disse...

Foi mesmo muito sofrido.
Boa sorte para vocês! :)

Takamura disse...

Eu torci muito e acreditei em vocês, podem acreditar. Sempre há vitória para aqueles que não desistem de seus sonhos! Adoro vocês e sei do quanto se esforçaram, desde a época dos fanzines. Beijoka na ponta do nariz.
Takamura do blog: Tatsu Estúdio

shirubana disse...

Obrigada Mate e Takamura! Agradeço de coração e graças a vcs que eu não desisti.^^

Leidiane Angela disse...

acompanho este blog (e voces)a algum tempo e vi que realmente voces são pessoas admiriraveis por lutar e querer algo que quase ninguem acredita :no mercado brasileiro de mangás !
"porque eu nasci aqui ?"
shirubana,porque voce ,juntamente da soni e do ju-sama (juntamente com o studio seansons)serão as pessoas que irão dar o ponta-pé inicial no mercado de mangas e hqs do brasil !
Ninguem acredita nisso (mas graça a deus,não precisamos que outras pessoas acreditem em nossos sonhos para realiza-los),se voce ver,o japao só se tornou pioneiro em animacoes porque na decada de 50 osamu tezuka ,juntamente com milhares de desenhistar acreditaram que isso podia se tornar real (e isso aconteceu depois da 2ª guerra mundial !quando o japao foi destruido e ninguem não acreditava nisso)

Mas sabe porque eles conseguiram ?
PORQUE TINHAM AMOR !
eles amavam acima de tudo seu trabalho e não importavam se isso era rentavel ou nao !
Por isso eu peco .shiru -sensei,continue acreditando e amando o que faz !
Acredito que daqui alguns anos existira mercado de quadrinhos aqui (e eu quero participar disso)
e que poderei falar que conheci uma das pessoas que ajudou isso a se tornar realidade !
Força ao fugato estudio!
beijos ^.^

shirubana disse...

É verdade, Leidiane! Vc disse tudo. Outo dia eu estava lendo a vida de Tesuka num livro em inglês que ganhei do meu irmão e realmente foi isso que vc disse. Os desenhistas se juntaram e começaram a exigir do Governo melhores materiais para desenho já que o Governo exigiu deles um trabalho melhor porque estavam querendo censurar as revistas de mangá. E na época ninguém ganhava um centavo para desenhar nos jornais.
Nós não estamos em guerra e mesmo assim não vamos adiante. Talvez seja falta de brigar um pouco mais por nossos direitos de desenhistas.
Quero olhar pra trás e ver que fizemos algo pelo mercado. E vc estará lá conosco, pode crer!^^

cksshimakura disse...

TT.TT A sua história é linda Shiru. E espero de todo coração,mesmo que diversas dificuldades apareção,que a sua arte de viver continue cada vez mais bela.

Morri de rir com "porque eu nasci aqui?". Tenho a mesma "raiva" também, porque quando meus pais se casaram foram morar no Japão, mas tiveram que voltar para resolverem alguns assuntos. Naquela época eu estava para nascer.... fico me questionando as vezes "por que eles não voltaram???!!!! TT.TT".

Mas é como a Leidiane falou, se estamos aqui é porque temos ainda que resolver algo grandioso. E um exemplo perfeito disso é a propria experiencia que temos em tentar aumentar o mercado de publicação de mangás brazukas. Como também a luta que temos em demonstrar as editoras brasileiras que temos compromissos em fazer algo de qualidade. Admiro vocês por fazerem isso todos os dias. De lutaren por seus sonhos.

Sou um mero iniciante, mas gostaria também de fazer parte disso um dia. E espero que em breve ^^.

Tenham um bom dia. Abraços!
ah! e novamente parabens pela publicação. Estou divulgando pra todos que conheço.

shirubana disse...

Nossa, Carlos. Foi na trave, né? Por pouco vc não nasce na terrinha querida! Fiquei até triste por vc, mas estamos no mesmo barco e temos mesmo que sonhar e lutar.
Todo dia é um dia pra gente tentar conquistar nosso sonho.

Grande beijo e espero que vc também consiga realizar sua missão aqui.^^

Bicho-Bia disse...

Nyah!! Que lindo, Shiru-chan!! Q.Q
Eu lembro de ter comprado a primeira edição de Vitral e de O Principe do Best Seller numa banca (acho que) em 2011 e fiquei muito chateada por nunca mais ver nenhum dos dois, mas não fazia ideia que tinha sido uma luta tão ardua da parte de vocês duas!! Q.Q Estou emocionada.
Mas, se me permite uma critica, nunca lamente por ter nascido no país que você nasceu. Se não fosse por você, pela Soni-chan e por todas as pessoas que as apoiaram (mesmo que eu não saiba quem ou quantas foram) é que no nosso país agora temos mais que duas obras yaoi/shounem-ai. Eu, como fujoshi que sou, agradeço profunda e sinceramente seu esforço e trabalho duro.
Comprei as quatro edições que foram lançadas recentemente na Comix Book e pretendo comprar todas as que virão a seguir, por isso, não desanimem!! o/

Ah, uma ultima coisa. Eu não sei se você sabe (provavelmente sabe e eu sou uma boba) Shiru-chan, mas em vários estados tem salas com tematica BL em eventos de anime/mangá e eu acho que seria uma boa oportunidade para divulgação extra de suas obras. O proximo, se não me engano, é o Anime Wing no Rio. É legal, tem sala BL até no Amapá >.<

Beijos!!

shirubana disse...

Obrigada, Bia. Pois é, eu fiz de tudo pra não lamentar ter nascido aqui. Eu fiquei muito feliz com suas palavras. É que levei um tempo pra entender que meu esforço pode estar contribuindo com a mudança no Brasil em termos de quadrinhos, mesmo que eu tenha dificuldades eu acredito que vai dar certo se me empenhar. Pra falar a verdade, eu sempre quis publicar no Brasil mesmo. Acho que fui contra maré até aqui, ignorei o fato da minha obra ser BL, de ser mangá e ignorei até mesmo o fato de ser mulher fazendo quadrinho. As vezes a gente tem que passar por cima de todos os preconceitos e até mesmo das nossas próprias crenças de que se nascêssemos fora teríamos mais chances. Só assim pra fazer a diferença.
É uma honra poder ser reconhecida no meu próprio país. Conheço muitos desenhistas bons que publicam no exterior, mas eles apesar de serem bem conhecidos têm uma mágoa por nunca terem publicado aqui. Um deles até me perguntou como eu tinha conseguido fazer isso. Eu respondi não sei.^^

Ah, sim. Já estou providenciando material pro evento no Rio. Eu queria ir pessoalmente, mas não vai dar. O bom é que tenho ajuda das fujoshis que vão me representar lá.
Obrigada mesmo.
Beijosss